30 de março de 2016

6 dicas para sua mala

Com o decorrer das viagens, fui acumulando uma certa experiência – ou melhor, uma coleção de perrengues – em relação à minha bagagem. Passando pelo óbvio: uma única mala (pequena, de rodinhas 360 e de certa qualidade, para que o carrinho não emperre no meio da viagem) e uma mochila (que sirva de mala de mão para o voo e para pequenos bate-e-volta durante a viagem), vou listar alguns macetes para você ir e voltar com a mesma mala, trazendo, ainda, alguns souvenirs.

  1. Escolha aquelas roupas de baixo – calcinhas, sutiãs, meias, camisetinhas underwear – que já estão no bico do corvo e leve-as. No final, você poderá descartá-las sem dor no coração e vai se surpreender com o espaço que vai liberar. (Essa dica não vale pras primeiras viagens românticas, o bofe não merece te ver de calçolas beges furadas – pule esta dica);
  2. O mesmo pode ser feito com o maiô, o chinelo e a touca de natação. Todo mundo tem sempre um maiô velhinho (se vc fizer natação então, nem se fala, tem sempre um carcomido pelo cloro, mas que dá ainda um caldo) e um chinelo havaiana gastinho (melhor ainda se for brinde daquele casamento do qual você nem gostou – do brinde ou do casamento, tanto faz). (Essa dica só vale para uma viagem de inverno, que pode ter uma piscina fechada, e o seu corpinho vai ficar totalmente submerso na água – pra praia e sol não vale, capriche na roupinha de banho!);
  3. Produtos de necessaire descartáveis. Escolha shampoo, condicionador, sabonete, desodorante, pasta e escova de dente (esqueça a elétrica) que serão jogados fora no fim da viagem, vazios ou não. Não tenha dó! Por isso não leve aquele shampoo caríssimo que você não vai querer desperdiçar nem um pinguinho, e vai ter que voltar com a embalagem enorme ocupando um espação para usar só mais uma ou duas vezes. Escolha aquela marca “mais ou menos” e desapegue. Amplie isso para outros itens: lixa de unha, removedor de esmalte, demaquilante, touca de banho, gilete (não vai me levar o depilatório elétrico!), hidratante, filtro solar, etc, etc Esqueça aqueles itens supérfluos, como o creme de tratamento para as manchas no rosto, produto para tratamento do cabelo, da unha e outros. Você não vai morrer se ficar algumas semanas sem esses itens. Perfume, miniatura, claro. Esqueça secador de cabelo, em qualquer hotel tem, seu cabelo não vai se voltar compra você, se você abandonar a sua  chapinha de estimação!
  4. Leve seus remédios de uso contínuo, com caixa, bula, receita, tudo certinho. Na primeira aterrissagem, abandone as embalagens, bulas e receitas, ninguém no trem ou hotel vai querer averiguar seus psicotrópicos. Leve o número certo – um ou dois a mais para alguma eventualidade – de comprimidos que você vai usar na viagem, e nem pense naquele porta-comprimidos  que ocupa o maior espação. Na hora de voltar, jogue fora tudo o que sobrou, inclusive aqueles itens que você comprou exclusivamente para esta viagem, e nunca mais vai precisar, desapegue. Outra dica, não muito boa, é ficar doente pra usar a sua farmacinha toda. Foi o que aconteceu comigo: virose (plasil, buscopan, tylenol, imosec), amidalite, gripe, sinusite (anti-inflamatório, descongestionante, spray nasal, antigripal, tylenolsinus), gastrite e outras questões gástricas (omeprazol, sal de fruta, engov), dores musculares (anti-inflamatório, relaxante muscular). Pronto! farmácia vazia, livre-se até da necessaire;
  5. Aquele tênis velhaco, que já tá até sorrindo pra você. Caminhe um pouco mais com ele e abandone-o. (Só aqui já sobra espaço pra um sapato novo);
  6.  Mas a última dica, e melhor, é despachar sua mochila com o seu marido. É, aquela mochila mesmo que você levou como bagagem de mão com as suas roupas de inverno – blusa, casaco, cachecol, gorro, luva – agora pode ser recheada com aquelas peças que você não vai usar mais – aquele pretinho básico e aquele scarpin que foram usados só naquele evento mais chique, aquele cachecol quente demais que vc levou errado pra essa viagem, aquele sapato que você comprou, mas não vai usar agora, etc, etc. Feche bem, identifique-a e despache o seu marido pra casa antes com a sua mochila. Sobrou um espação e um tempão livre – agora, sem o seu marido implicando – para compras. Ah! Todos aqueles itens que vieram na mochila – casaco, cachecol, etc – agora estão no seu corpitcho e você só vai retirá-los dentro do avião. Soque-as no bagageiro, embaixo do banco, sente em cima, sei lá. O importante é ir e vir com a mesma mala e ainda com algumas compritchas!