6 de julho de 2016

A farsa de Romeo e Giulietta

Na verdade, a peça Romeu e Julieta nem foi escrita por Shakeaspeare! Ela faz parte de uma série de textos trágicos que remontam à Antiguidade, encontrando elementos até em Ovídio. Durante séculos, a história dos apaixonados foi passando de mão em mão, ganhando adaptações, acréscimos, alterações, etc, etc… Aí, em 1539, o texto chegou a Luigi da Porto, poeta italiano, que o nomeou de Giulietta e Romeo, e deu a cara mais parecida com o que conhecemos hoje, pois, além dos nomes dos amantes e de suas famílias rivais, os  Montecchi e os Capuleti, ambientou a tragédia em Verona. Como havia uma tendência entre os escritores em publicar textos baseados em contos da Itália, os mais populares do teatro da época, Shakespeare adaptou várias peças de novelas italianas, como O Mercador de Veneza, Muito Barulho Por Nada e Romeu e Julieta, entre outras.

Assim – para usar termos teatrais – as máscaras caem… Não há Montecchios ou Capuletos, só famílias com nomes parecidos que não eram, obviamente, inimigas; então, também não há Julieta e Romeu!?! Aquela casa não é de Julieta coisa nenhuma, muito menos aquelas roupas que são, na verdade, o figurino da primeira montagem da peça de Shakespeare, cuja estátua está lá na praça principal de Verona observando toda essa farsa. E a tumba de Julieta? Como assim? Não tem Julieta, não tem morta, não tem corpo pra por na tumba!

E quem se importa! Ora, por favor, entre na fantasia! Por acaso vc vai à Disney e quando aparece a Elsa de Frozen, vc grita: “Ah sai dessa, não tem nada de reino congelado!” Claro que não. E, vamos combinar, Romeu e Julieta em Verona está a anos luz de Elsa….

Verona

Para começar a entrar no fabuloso mundo de Verona, assista ao romântico Cartas para Julieta, em que um grupo de mulheres responde às cartas das mulheres apaixonadas que escrevem para Julieta, para se aconselharem, e as colocam no muro de sua casa. Não há mais espaço para as cartas, apenas uns cantinhos minúsculos pra vc desenhar uns coraçõezinhos com o nome do amado, mas há um moderníssimo computador (considerando a época de Julieta) em que vc pode mandar e-mails para Julieta ou ler as cartas remetidas a ela; não é genial!?! A casa de Julieta realmente é encantadora, dá vontade de se sentar nas cadeiras ou de se deitar na cama – se vc quiser uma experiência próxima, hospede-se no hotel que fica no páteo da casa; é demais! Infelizmente a maior parte dos turistas, que são muitos, não entram sequer na casa – pois tem que pagar – contentam-se apenas em apalpar os seios da estátua de bronze de Julieta que se encontra na entrada. Diz-se que dá boa sorte…na dúvida… Mas deixar de ir ao balcão de Julieta é realmente uma heresia! ( Tem até uma lojinha na rua que oferece uma vista do balcão!?!)

Verona

A tumba, então, é bem impressionante! Por azar, quando fomos, estava chovendo e muito frio, então o jardim, que tem um poço para vc jogar uma moedinha, perdeu um pouco o charme. O túmulo fica num antigo monastério  – o de San Francesco al Corso – onde há um cartório que realiza casamentos (que legal! até vimos um! deve dar sorte!)

Verona

Só não se deixe contaminar pelo chato do seu marido, pois o meu ficava o tempo todo alardeando a chatice da verdade/mentira. Fantasia não tem nada a ver com mentira, ok?