5 de janeiro de 2015

“Nós sempre teremos Paris” , mas precisamos sempre?

A primeira vez que fui a Paris foi há 14 anos na minha lua de mel, mas, contrariando todos os palpites, passamos o Reveillon em Praga e não em Paris. É claro que o calor da paixão aplacava o frio gélido que fazia na cidade, mas que espetáculo ver os fogos ao fundo do Relógio Astronômico!

Bom,  na virada para 2015, resolvemos ver a passagem na cidade luz. Fiz várias buscas na internet e só achei comentários depressivos: frReveillon Parisio, gente estranha, nada de fogos… Uma amiga me contou que teve que caminhar horas até o hotel, pois não conseguia embarcar em nenhuma estação de metrô (que é grátis na virada). Mas juntei todas as minhas forças e estava decidida! Já em Paris, ao perguntar às pessoas sobre o evento, os comentários eram bem parecidos: a Tour Eiffel piscava igualmente a todas as horas, na Champs Elysées não tinha nada, os estabelecimentos estavam lotados, no metrô ia “tout le monde” porque era grátis, os fogos eram proibidos e a bebida também (tanto o consumo na rua, quanto a venda numa determinada faixa de horário), mas pela primeira vez estava programada uma projeção de vídeo no Arc de Triomphe… é para lá que vamos!

O metrô começou tranquilo, foi enchendo, enchendo… não parou nas estações Champs Elysées, F. Roosevelt, George V; descemos na Charles de Gaulle Étoile, mas estava fechada! Como o trem para na estação, se o indivíduo não pode sair? Como se fecham saídas de um metro lotadííííssimo? Voltamos, pegamos o metrô novamente e descemos na Argentine. Mas não era Paris? Bom…deixa pra lá. Continuamos a pé em direção ao Arc. De repente, não havia mais direção, alguns iam, outros vinham, um táxi no meio, caos total! “Vc nunca esteve numa muvuca?” O quê? Eu sou profissional, já fui atrás até do Galo da Madrugada! Mas com 20 anos e não depois dos 40! Existem coisas que vão ficando DES-NE-CES-SÁ-RIAS com o passar dos anos, principalmente passados mais de 40 anos! Resolvemos voltar, mas quem disse que tinha sentido de ida e de volta?  Conseguimos nos desvencilhar um pouco da aglomeração a tempo de ver os fogos no Arc de Triomphe! A volta não foi fácil, mas deixa pra lá, afinal, sempre teremos Paris…. mas não precisa ser no Reveillon….