2 de agosto de 2016

Por que ver o Santo Sudário em Turim?

O Santo Sudário já pertencia aos Savoia desde 1450 e passou a ser exibido ao público a partir de 1694. Conhecido como a maior relíquia do Cristianismo, o Sudário é um manto que teria envolvido o corpo de Jesus após sua crucificação, isso porque apresentaria marcas que corresponderiam aos pregos usados na crucificação, à ferida provocada pela lança e à coroa de espinhos. O manto que se encontra em exposição no Duomo de Turim é uma réplica – que, aliás, eu já vi há uns anos na Catedral da Sé em São Paulo. O original está guardado num ataúde, que está dentro de uma caixa de ferro, que está trancafiado num cofre de mármore, e que só é mostrado de tempos em tempos (muitos tempos!!!), quando um séquito de religiosos vai vê-lo. Só um detalhe… em 1988, a datação por carbono 14 (aquela técnica que consegue determinar de quando é uma certa “coisa”) mostrou (provou, né?) que o manto é, no máximo, no máximo, do século XII. Então, como continua sendo motivo de veneração? Não sei, não sei, não sei, até acho meio vergonhoso continuar expondo-o, acho que por isso guardaram o original, de vergonha! Ah, claro, vc quer saber porque eu fui ver a réplica, ainda mais duas vezes? Por acaso, simples acaso: num belo final de semana, estava passeando com meu marido no centro, quando resolvemos visitar a Catedral da Sé – lindíssima, aliás – e seu museu, que precisava ser aberto por uma senhorinha que foi nos explicando tudo, inclusive sobre a tal réplica do tal manto que estava exposto lá; em Turim, estava visitando o Duomo e lá estava ele de novo. Acaso.

Duomo

Resolvido o primeiro mistério de Turim, vamos ao segundo ícone da cidade: a FIAT. Criada em 1899 pela família Agnelli, a Fabbrica Italiana Automobili Torino se tornou uma das maiores empresas da Europa, alavancando a cidade a um importante centro de negócios. Inclusive, nos hospedamos onde funcionava a fábrica da Fiat, no Hotel NH Lingotto Congress, num prédio de 1922. Pode até ser frustrante para os amantes de automóveis, mas a única referência é um carro icônico no lobby. Só! (Mas há na cidade um museu do automóvel) O hotel é mais voltado para o turismo de negócios, mas tem quartos amplos, com janelões imensos, e fica ao lado de uma estação de metrô. Tem um shopping ao lado, um Eataly e até uma Pinacoteca (Giovanni e Marella Agnelli) na cobertura, formada pela coleção da família que inclui Renoir, Picasso, Matisse, entre outros. Mas, se o que vem a sua cabeça é uma cidade operária criada ao redor da indústria de automóveis, esqueça!

Hotel NH Lingotto (Fábrica da Fiat - 1922)

Destruídos os dois mitos da cidade, vamos ao quê ela realmente é. Turim tem um centro pequeno e agradabilíssimo de se passear, repleto de lojas, e piazzas, como a belíssima barroca Piazza San Carlo, conhecida como “a sala de visitas de Turim”, que ficou famosa por seus cafés históricos frequentados pela alta sociedade, como o Caffè San Carlo, um dos mais antigos, onde tivemos um delicioso almoço. Aliás, gastronomia e bebida são parte importante do Piemonte (da Itália, né?), que tem pratos de dar água na boca, como o risoto giallo, e os vinhos barbaresco e barolo, considerado o melhor da região, além, claro, do gianduiotto (chocolate com avelã), típico da região, que comemos nA Giordano (1897).

Turim

Além disso, ainda é possível, em Turim, percorrer parte da história da Itália por meio de seus museus. No circuito Palazzo Reale/Armeria Reale/Biblioteca Reale, entra-se em contato com os Savoia, que dominaram a região de 1660 até a unificação. No Palazzo, encontram-se os aposentos reais ricamente decorados, e na Armeria está um dos maiores acervos de armas e armaduras do mundo, com peças renascentistas e medievais dos maiores armeiros do mundo. Dando um salto na história italiana, o Museu do Risorgimento relata o processo de unificação italiana, desde a ascensão de Vittorio Emanuele II no governo do Piemonte em 1849, passando pela proclamação do reino da Itália em 1861 com capital em Turim, culminando com a unificação da Itália em 1870 com Roma como capital do novo reino.

Palazzo Reale

Não importa qual a Turim que vc tem em mente, ela vai te surpreender!