Tag archives for: Paris

15 de outubro de 2015

“Alívio imediato” – sqn

Costumo brincar que eu estou sempre atrás de 2 coisas numa viagem: água e banheiro. E, como todo mundo sabe, à proporção que se consome a primeira, necessita-se da segunda. Aquela é fácil, já está no hotel (às vezes, a peso de ouro, mas pode representar a salvação). Vc sai com uma garrafinha pela manhã […]

Continue lendo

18 de setembro de 2015

Vesícula láctea (?!)

A vesícula biliar é um órgão pequeniníssimo que armazena a bile produzida pelo fígado para digerir a gordura dos alimentos. Normalmente, nem lembramos que ela existe e ninguém nos dá maiores informações sobre a famigerada, até que ela começa a dar defeito. “Ah, mas tem os sintomas clássicos!” Não, nada disso, não há sintomas clássicos, […]

Continue lendo

8 de setembro de 2015

Compras à francesa

Aí a pessoa vai pra Paris, achando que vai se acabar nas compras na Champs-Elysées e sair cheia de sacolas da avenida mais icônica do mundo, sem, REALMENTE, ter se dado conta de que, além de estar no cartão-postal da moda do mundo, vai ter que bancar a fatura do cartão em euros (mais o […]

Continue lendo

3 de setembro de 2015

Salve Salvador!

Passear por Paris não é só tentar entender como vivem os parisienses, mas também saber um pouco mais sobre os estrangeiros célebres que foram viver por lá, principalmente nos “loucos” anos 20. As colinas de Montmartre foram, para a maioria, o lugar eleito para morar e produzir, e até hoje carrega toda uma aura artística […]

Continue lendo

27 de agosto de 2015

L’Âge de mûr – Camille Claudel

Meu primeiro contato com Auguste Rodin foi por meio do filme Camille Claudel, de 1988. É, eu sei… foi tudo errado… de cara já agarrei um ódio naquele barbudo! Argh! O filme é um sofrimento só! Em 175 longuíssimos e arrastados minutos, a linda – e triste e descabelada – Isabelle Adjani – sofre, sofre e… […]

Continue lendo

30 de maio de 2015

Uma vegetariana pelo mundo – ou uma tentativa…

Desde que me conheço por gente, sou glutona. Como de tudo, e muito. Com apenas uma exceção, feijão. Nem pensar, não posso nem ver. Por causa da ditadura da feijoada, evito restaurantes estilo self-service para não ter nem que ficar encarando o dito cujo no prato alheio. Argh!  Na infância, minha alimentação se baseava no […]

Continue lendo

31 de março de 2015

Eu só quero macarons! Só quero macarons…

De todos os sete pecados capitais, provavelmente o mais difícil de se driblar em Paris seja o da gula. São tantas iguarias, que ficamos boquiabertos antes mesmo de iniciarmos o movimento da mordida… Well… como tudo que é bom, é ilegal, é imoral ou engorda… escolha uma das opções e caia de boca, literalmente! E […]

Continue lendo

18 de março de 2015

“The sound of the crust”

Quando se vai a Paris, tem-se a sensação de se ter mais de cinco sentidos. Não estou falando do sexto, não. É alguma coisa entre o olfato e o paladar, mas que mistura ainda um pouco de audição e visão. E por que não de tato? É mais ou menos como o surgimento do quinto […]

Continue lendo

13 de março de 2015

“Tradição e Cultura”

Em O Poder do Mito, Joseph Campbell discute sobre a importância dos rituais, em especial os de passagem: a transição da infância à vida adulta (quando os homens deixavam de usar calças curtas e as encompridavam), o casamento (principalmente para as mulheres) ou os funerais. Eu, que nunca dei tanta atenção a eles, passei a percebê-los […]

Continue lendo

8 de março de 2015

Em busca da vagina perdida (ou L’Origine du monde)

Seguindo os passos do protagonista de Como me tornei um estúpido de Martin Page, 2005, qualquer aprendizado, para mim, envolve teoria, leitura … e prática. Assim, enveredei por um Curso de Introdução à História da Arte no Masp para conhecer um pouco mais sobre os ismos (Impressionismo, Surrealismo, Cubismo…) antes de ir a Paris. E lá […]

Continue lendo